Segunda Lei de Mendel

No estudo dos resultados de Mendel que levaram à formulação de sua primeira lei,  acompanhamos a expressão de apenas um gene de cada vez. Mendel, entretanto, também fez  experimentos onde acompanhou a segregação de dois genes simultaneamente. Estes experimentos  são a base para a estruturação do que viria a ser chamado de "Segunda Lei de Mendel", ou a Lei da  Segregação independente, onde:

Os alelos de dois ou mais genes de um indivíduo separam-se independentemente,  combinando-se aleatoriamente nos gametas (Figura 1).

 

Fonte: http://biologiacesaresezar.editorasaraiva.com.br/navitacontent_/userFiles/File/Biologia_Cesar_Sezar/Bio3_106.jpg

Figura 1: Diagrama representativo da segregação independente para dois genes localizados em cromossomos diferentes.

 

Após o estudo detalhado e individual de cada um dos sete pares de caracteres em ervilhas,  Mendel passou a estudar dois pares de caracteres de cada vez. Portanto, os cruzamentos que  realizou envolveram os caracteres cor (amarela e verde) e forma (lisa e rugosa) das sementes, que  já haviam sido estudados individualmente e concluido que o amarelo e liso eram caracteres  dominantes. Mendel então cruzou a geração parental (P) de sementes amarelas e lisas com as  ervilhas de sementes verdes e rugosas, obtendo em F1, todos os indivíduos com sementes  amarelas  e lisas, como os parentais dominantes (Figura 2).

 

 

Fonte:http://www.colegiosaofranscisco.com.br/alfa/leis -de-mendel/images/segunda-lei-de-mendel-1.jpg

Figura 2: Diagrama demonstrando o cruzamento entre duas linhagens puras de ervilha, cada uma para dois caracteres, e a proporção em relação aos resultados obtidos em F2.

 

O resultado de F1 já era esperado por Mendel, uma vez que os caracteres amarelo e liso eram  dominantes. Posteriormente, realizou a autofecundação dos indivíduos de F1, obtendo na geração  F2 indivíduos com quatro fenótipos diferentes, incluindo duas combinações inéditas (amarelas e  rugosas, verdes e lisas). Em 556 sementes obtidas em F2, verificou-se a distribuição segundo a  tabela 1. Os números obtidos aproximam-se bastante da proporção 9: 3: 3: 1. Observando-se as  duas características simultaneamente, verifica-se que obedecem à Lei de Mendel. Em F2, se  considerarmos cor e forma de modo isolado observa-se a proporção de três dominantes para um  recessivo. Analisando os resultados da geração F2, percebe-se que a característica cor da semente  segrega-se de modo independente da característica forma da semente e vice-versa. Esta  segregação  dos genes independentes e ao acaso, constitui-se no fundamento básico da 2ª Lei de  Mendel, ou lei da segregação independente. Aplica-se a Lei de Mendel para o estudo de duas, três  ou mais características, simultaneamente, determinadas por alelos situados em pares de  cromossomos homólogos diferentes. Assim, fala-se em di-hibridismo, tri-hibridismo,  poli-hibridismo, respectivamente.  



Tabela 1: Frequências genotípica e fenotípica resultantes em F2, observadas por Mendel.

Fonte: http://www.colegiosaofranscisco.com.br/alfa/leis-de-mendel/images/segunda-lei-de-mendel-4.jp