A Descoberta do Princípio Transformante DNA

(Experimento de Griffith)

 

Primeiro a tentar descobrir o material génetico:

Frederick Griffith, especialista em microbiologia. Nasceu em 1881, em Hale e faleceu em 1941, foi o primeiro a fazer experimentos em busca de encontrar o material genético.

Experimento de Griffith: Através deste Griffith descobriu o Princípio Genético da Transformação em 1928, a  transformação é uma maneira de recombinação, troca ou transferência de informação genética entre organismos  ou de um organismo para o outro, ocorrendo em vírus, mas não em todas as espécies de bactérias, seu interesse  era a bactéria que causava pneumonia Streptococus pneumoniae.

Etapas da realização de seu experimeto:

I- Isolou  várias linhagens diferentes de S. Pneumoniae (tipo I,II,III, etc)

S: Smoth: Formas virulentas (causadoras da doença): bactéria circundada por uma capa de polissacarídeo, que faz  com que a colônia de bactérias se apresente lisa quando cultivadas em uma placa de ágar.

R: Rough:Formas não virulentas: Mutação das formas virulentas, não tinham capa de polissacarídeo e produziam  uma colônia rugosa em uma placa de ágar.

 

Griffith estava interessado nas origens de linhagens diferentes de S. Pneumonia e por que alguns tipos eram  virulentos e outros não.

 

Tabela 1- observação de Griffith:

    

Tipo de bactérias infectadas nos ratos:

Reação dos ratos:

Tipos de bactérias recuperadas:

1

IIIS (virulentas)

morrem

IIIS (virulentas)

2

IIR (não virulentas)

vivem

nenhuma

3

IIIS mortas por aquecimento (virulentas)

vivem

nenhuma

4

IIR (não virulentas) + IIIS mortas por aquecimento (virulentas)

morrem

IIIS e IIR

                          Produzida por: Rossi R.L., através de PIERCE, B.A

Fonte: http://profxandy.blogspot.com/

Figura 1: Experimento de Griffith, onde foi injetado nos ratos bactérias Streptococus pneumoniae de formas virulentas e não virulentas.

 

Em ratos dos quais foram injetados uma mistura de células virulentas mortas pelo calor e células não virulentas vivas, não foi possível recuperá-las.

Bactérias vivas podiam ser recuperadas em ratos mortos; estas bactérias cresciam em colônias lisas e eram  virulentas após a injeção subsequente.

Griffith concluiu que as bactérias IIIS mortas tinham transformado as bactérias IIR em IIIS vivam, embora  Griffith não compreendesse a natureza da transformação, ele supôs que alguma substância na capa de  polissacarídeos das bactérias mortas tinham sido responsáveis por essa transformação. Griffith chamou essa  substância de Princípio Transformante, dessa forma foi possível entender a natureza das bactérias da  pneumonia.

 

Fonte: http://www.seas.harvard.edu/suo/album.html

Figura 2: Imagem de Griifth.