O Experimento de Meselson e Stahl

 

 

     Meselson e Stahl convincentes demonstraram que a replicação em E.coli é  semiconservativa. Para esse experimento eles utilizaram o Nitrogênio 14N e isótopos de  nitrogênio- nitrogênio pesado 15N que tem um grande peso atômico.

 

Como ocorreu o experimento:

Responsáveis: Matthew Meselson e Franklin Stahl.

Ano: 1958

Modo de identificação: marcaram o DNA por incorporação de nitrogênio pesado 15N.

Objetivo: Descobrir de que forma ocorre a reprodução do DNA , ou seja a replicação.

 

     O experimento foi possível graças ao desenvolvimento de análises bioquímicas que  ocorreu ao longo da década de 1950. Meselson e Stahl tinham por objetivo marcar as duas cadeias de DNA, podendo assim  monitorar o destino dessas cadeias após a sua replicação.

 

A1.1-) Cultivaram bactérias E.coli num meio com 15N (Isótopo pesado de Nitrogênio ),  depois centrifugaram seu DNA.

       1.1Todas as novas cadeias originadas após a cultivação tinham apenas 15N.

 

A1.2-) Cultivaram bactérias E.coli na presença de 14N (Isótopo normal de nitrogênio),  depois centrifugaram o DNA.

      1.2 Todas as novas cadeias originadas após a cultivação tinham apenas 14N.

 

A1.3-) Bactérias E.coli foram cultivas em um meio para reprodução

 

A1.4-) Após reprodução o DNA de uma bactéria foi colhido.

 

Esse DNA foi purificado e centrifugado para análise de densidades.

 

     Resultado: verificaram que a densidade de flutuação variava entre os valores de 15N  (mais denso) e 14N (menos densas), mostrando que após a replicação cada dupla hélice  de DNA continham quantidades mais o menos iguais de 15N e 14N.

 

                                 Fonte: http://www.esec-odivelas.rcts.pt/BioGeo/ficha_trab2.htm

Figura 29: Meselson e Stahl demonstraram a diferença de densidades entre as duplas hélices de DNA, antes e após a replicação.

 

     Analisando esse resultado percebemos que ele se encaixa tanto na hipótese de  replicação dispersiva quanto na hipótese de replicação semi-conservativa.

 

Experimento para a diferenciação entre replicação dispersiva e replicação  semi-conservativa:

B.1-) Bactérias foram cultivadas novamente com a intenção que elas se reproduzissem.  Foram analisados 3 tempos de reprodução diferente.

B.2-) Células foram removidas e seus DNA foram purificados para serem estudados

B.3-) Foi centrifugada uma amostra de DNA e analisada a sua densidade.

 

                                                     Fonte: http://www.esec-odivelas.rcts.pt/BioGeo/ficha_trab2.htm

Figura 30: experimento de Meselson Stahl: etapas desse experimento que comprovou que a replicação do DNA é semi-conservativa e não dispersiva.

 

     Resultado: surgiram dois lados uma hélice com densidade maior formada por 15N e  outra hélice com densidade menor formada por 14N.

     Esse resultado se encaixa totalmente na hipótese de replicação semi-conservativa.

 

     Descoberta a forma como se dava a replicação faltava agora se aprofundar e saber o  mecanismos desse processo.